Total de visualizações de página

Translate

Google+ Followers

50 TONS DE CINZA - Filme

Eu sei, eu sei, estou atrasado há um ano e meio para escrever sobre este filme, mas é que somente agora tive paciência para poder assisti-lo. E ele não me decepcionou: O filme é uma merda!
Já li diversos comentários positivos e negativos referentes a esta obra (se é que dá pra chamar isto de obra) e aos poucos fui traçando um pensamento em relação a ela. Claro que ter uma opinião sem assistir não é mais do que preconceito, então eu me determinei a somente comentar publicamente após assistir o filme. Não, eu não li o livro e não creio que seja muito melhor que o filme. Os poucos trechos que li só reforçam as ideias que irei expor em seguida.
Foram umas das 02 horas mais mal empregadas da minha vida. Sorte que estou de férias, caso contrário, estaria mais revoltado ainda. E sorte que não assisti no cinema. Melhor, assisti sozinho. Assim não corro o risco de ser embalado pela histeria coletiva que este lixo causou entre boa parte das mulheres.
1.    HISTÓRIA

Nem preciso dizer que a história é uma piada de mau gosto com o bom senso e a realidade. Mas vamos aos fatos. Um bilionário de 27 anos se apaixona por uma estudante de literatura que, substituindo uma amiga que estava doente (oi????), entrevista-o em seu escritório.
Primeira consideração: que doença é esta que fez a mulher mandar sua amiga em seu lugar sabendo tratar-se de uma figura “tão foda” (SQN!) quanto Christian Grey? Não me parece minimamente verossímil. Depois, durante a entrevista, Anastásia gagueja, se perde nas perguntas, não sabe o que falar, fica toda cheia de mão e quase se borra na frente do cara. O cara ao ver isso, se interessa por ela? Para tudo! Vocês conhecem homens de negócios? Eles são dinâmicos, apressados, tempo é dinheiro! Eles não têm tempo a perder com estudantes de jornalismo que mandam a amiga em seu lugar, amiga esta que nem sabe falar direito na frente do cara! Você acha que o cara iria perder tempo dando atenção a ela? Se interessar? No máximo, o cara iria querer ter algo casual e depois mandar embora.
Continuando. Após um primeiro contato de contos da carochinha, o bilionário de coração mole (para quem dizia que nem tinha coração no primeiro contato) vai atrás da estudante para poder cortejá-la. Daí pra frente o filme segue com níveis estratosféricos de erotismo sem sal (é sexo o tempo todo) com um pseudorromance de pano de fundo.
Segunda consideração: o cara é bilionário! Entenderam isto? B-I-L-I-O-N-Á-R-I-O! Bilionários não saem do escritório no meio do dia para poder ir atrás de estudante de literatura. Bilionários saem do escritório no meio do dia para ir atrás de negócios, oportunidades e tudo mais que possa lhes deixar mais ricos ainda! Por isto eles são bilionários e nós, eu e você, mal temos dinheiro pra abastecer o tanque do carro.

2.    TEMÁTICA DO FILME
Olha, não vem em defesa do filme querendo mudar este fato. A temática do filme é SEXO! Puro e simples SEXO! O filme tem por tônica apresentar o mundo sado masoquista de forma mais democrática. Só que até nisto ele peca. Ele mostra um adepto da prática tentando convencer uma Virgem a entrar pro seu mundo. Mas na hora de mandar ver, o tal sado maso não passa de fetiche meia boca. O mais “profundo” da prática que ele mostra no filme é amarrar a mulher na cama. Ah, fala sério. Não vou me estender. Google está aí para consultas. Quem quiser, digita no Google BDMS e vai ler quais são as práticas de submissão que existem.
Ah, detalhe! Ela, Anastásia, recém-desvirginada, pesquisou no Google. E ainda assim se interessou! Então não me venha falar que a temática do filme é romance, ok?

3.    ROMANCE
NÃO TEM! Não me venha com essa, ok? O cara é um maníaco controlador, fanático por poder e a única coisa que ele espera dela é submissão! Ele fala isto explicitamente no filme! Todos os momentos “românticos” que ele proporciona a ela são calcados em seu abundante poder aquisitivo! Passeio de helicóptero, passeio de planador, mudança de passagem para primeira classe, apartamento fodástico, computador, carro, etc, etc e etc! Quero ver se ele sobrevivesse com um salário mínimo e não pudesse fazer estas coisa se ia ter gente chamando ele de romântico. E mesmo com todas estas atitudes “românticas”, tudo que ele mostra é que quer dominá-la. São todos meios de pura tentativa de dominação.
Aí que reside minha principal dúvida. As mulheres de hoje em dia não aguentam nem que o namorado pergunte onde ela foi na hora do almoço e vão querer me dizer que queriam um Christian Grey para elas? Um homem completamente controlador, arrogante, autoritário e machista? Está certo isto? Não me parece coerente.

Por fim, para não me alongar mais com um filme que não merece, a única coisa que se salva no filme é a trilha sonora. De resto? LIXO! História ruim, roteiro mal adaptado, personagens superficiais (aliás, nem Os Mercenários têm personagens com tão pouca profundidade, meu Deus), pouca criatividade e perda total de foco na tônica do filme. Como falei, cena de sexo toda hora. Mas até nisto eles se perderam. Ao invés de valorizar o tema abordado, o mundo sado masoquista, se apegaram ao porte físico dos atores. Então, aquele povo que se excitou durante o filme, na boa, acho que seus parceiros estão deixando a desejar em casa.
E por favor. Para de idolatria com Mr. Grey e com a Srta. Anastásia. Ele é só um fraco psicologicamente abalado e profundamente traumatizado. Não tem nada de foda. E ela não é forte. A meu ver ela é outra fraca. Ela se permitiu ficar com um cara que vai totalmente de encontro a sua personalidade romântica pela crença de que poderia mudá-lo. E eu não vejo nada de romântico nisto!
Se quiserem perder tempo, este é o filme!


Comentários

Postagens mais visitadas